Transando com a mulher do meu Comandante

  • 9 de novembro de 2021
  • 94 views
6 votes

Boa tarde. Venho aqui para contar a aventura que tive com a mulher de meu Comandante, já que não posso compartilhar ela com amigos devido ao risco de sofrer represálias de meus superiores. Sou militar do Exército há alguns anos e adoro a cidade, pois não resisto a uma mulher bonita e Gostosa, e disso está cheio. Sou casado há 10 anos, muito bem casado por sinal, mas como trabalho longe de casa, consigo alguns intervalos para aventuras sexuais.

Tenho 35 anos, sempre pratico atividades físicas, já que sou militar, e por isso tenho um corpo bem definido, modéstia a parte. Tenho 1,80 de altura e boa aparência, então gozo de uma certa facilidade para conseguir me relacionar com garotas.

Uso o tinder e o happn sem fotos para conseguir conhecer as garotas, e nunca havia me envolvido com mulheres do quartel, considero muito arriscado e pouco ético, já que há vários encontros de família no quartel e sempre levo minha esposa.

Mas minha ética não impediu que me envolvesse com a mulher do meu chefe, passei por cima de todos os valores e riscos!

Eu já servia no quartel quando o Comandante chegou, e houve um jantar para recepção dele. As família foram convidadas, e ele levou sua esposa e seu filho.

A esposa do chefe logo causou impacto. Ela tinha um jeitão de piriguete, as esposas de pronto começaram a fazer comentário depreciativos sobre ela, e eu já fiquei com muito tesão nela, apaixonei logo que bati o olho. Ela tinha por volta de 1,75 de altura, alta para uma mulher, e estava com um vestidinho vermelho bem justo na janta, e bem curto , acima do joelho. Dava pra ver que ela era loira falsa, e usava um batom bem chamativo, lilás. Ela tinha as pernas bem grossas, a pele morena bronzeada, e dava pra ver as marquinhas de bronze no ombro dela. Uma puta cara de safada, parecia que ela se ajeitava já pra deixar isso bem na cara, e ela conseguia realmente provocar.

Minha chance de trocar ideia com a safada chegou quando fui ver as crianças no pula-pula, que estava um pouco afastado da festa. Cheguei e estava sozinho lá, quando vi ela chegando também. Confesso que fiquei um tanto nervoso, mas isso não me impediu de cumprimentá-la e começar uma conversa.

Perguntei de onde ela estava vindo e tal, e ela logo se mostrou muito simpática. Papo vai, papo vem, começamos a falar sobre livros, e para minha felicidade nós gostávamos dos mesmos assuntos. Falei sobre um livro em particular, e ela disse que não tinha lido ele, e que quando eu terminasse era para emprestar para ela ler. Claro que concordei, e fiquei empolgado por ter conseguido uma chance de falar com ela novamente. Enquanto conversávamos, ela sempre ajeitava os cabelos longos, e ajeitava também o vestidinho vermelho, o que me fazia explodir de tesão. Mas mantive minha discrição, e procurava olhar bem discretamente para aquele corpo delicioso que estava ali na minha frente.

O tempo passou, não vi mais ela por um bom tempo. Minha mulher estava em um grupo de whatsapp das esposas, aproveitei isso e anotei o número da mulher do chefe, não custava nada ter ele guardado. E foi uma decisão muito acertada, já que algum tempo depois minha esposa viajou por uma semana, e nosso Comandante viajou em uma missão na mesma semana. Já comecei a viajar nas possibilidade, que considerava bem pouco prováveis, mas mesmo assim adorei pensar no que poderia acontecer.

No meio da semana, uma quarta-feira, já estava injuriado de ficar de bobeira em casa, não estava rolando nada nos apps pra me divertir, e não estava a fim de sair de casa pra correr atrás de mulher. Tomei umas cervejas, fiquei um pouco no grau, e a ideia de mandar uma mensagem pra mulher do chefe começou a me parecer bem interessante. Deu um frio na barriga, mas como estava cedo e eu já tinha tomado algumas, decidi arriscar e enviar. Mandei uma mensagem bem educada no whats, falando sobre o livro e tal, dizendo que já tinha terminado de ler e que estava à disposição para emprestá-lo.

Ela foi bem educada também, conversamos um pouco sobre o tema do livro, mas foi uma conversa bem desinteressada. Porém, quando já estávamos nos despedindo, ela mandou uma mensagem perguntando se eu não podia passar lá na casa dela para levar o livro no final do expediente. Delícia, fiquei excitado só de saber que ia ver a gostosa no dia seguinte! Avisei que sim, e que passava lá depois do trabalho.

Como combinado, parti para a casa dela no horário marcado. Tomei um banho, caprichei no perfume, e fui ver aquela coroa deliciosa. Chegando lá, toquei a campainha da casa e ela abriu a porta, que ficava numa soleira depois do jardim da casa. Me chamou para entrar, o que fiz com o coração disparado!

Me arrepiei de prazer só de ver ela quando entrei na casa. Estava com um shortinho jeans bem curtinho, dava pra ver as pernas lisinhas e grossas dela quase toda. Estava com uma regatinha de malha, marcando bem o corpinho. Mas o que me deixou em êxtase mesmo foi quando percebi que ela estava sem sutião!! Um tempo depois que entrei, percebi o farolzinho dela aceso, a perversa com certeza queria me dar!!

Trocamos uma ideia rápida, ela ficou toda alegrinha quando emprestei o livro pra ela. Mexia muito no cabelo, só podia ser um bom sinal. Percebi que ela estava um pouco nervosa também, todos os sinais me favoreciam. No meio da conversa falei que estava sozinho essa semana também, e ela pareceu bem interessada na informação. O papo foi rápido, mas as cartas foram postas na mesa. Ela precisava buscar o filho na creche, então tivemos que encerrar a conversa. Dava pra sentir aquela tensão boa no ar, alguma coisa ia rolar. Me despedi e falei que estava à disposição, que qualquer coisa nos falávamos no whats. Nos beijamos no rosto, e nesse beijo já deu pra sentir o calor daquela danada deliciosa.

À noite, no mesmo dia, ela já me enviou mensagem dizendo que ia numa livraria no meio da tarde do dia seguinte, e perguntando se eu me interessava em algum título para ela compensar a gentileza de eu ter emprestado o livro pra ela. Agarrei a oportunidade e disse que eu tinha uma folga guardade para tirar (era verdade), e se ela não queria companhia para ir à livraria. Ela disse que adoraria…comecei a viajar em como ia bagunçar aquela safada se ela me desse brecha!!

Nos encontramos na livraria na hora marcada. Ela estava com uma legging bem justinha, dava pra ver aquele bucetão gostoso bem marcado no meio das pernas da gostosa, e aquele rabão redondinho que ela tinha. Camiseta de academia também, com um top apertando bem as tetas, decotão delicioso, daquele que dá vontade de enfiar a cara logo de vista.

Comi a mulher do meu comandante

Andamos por alguns setores da livraria mais fechados, e ficamos sozinhos algumas vezes. Eu sentia que ela queria muito, mas não podia dar mole de errar com a mulher do chefe, era muita sujeira. Então me segurei durante um tempo, tentando manter a marra de que não queria nada demais, só lançando uns olhares bem instigantes para ela. Acho que ela percebeu meu receio, e passou a encostar a mão no meu braço quando falava de alguns livros…isso já foi muita covardia, não tem cristão que aguente a uma provocação dessas! Quando estávamos sozinhos em um setor novamente, e ela me encostou a mão no braço, puxei ela, encaixei minha mão no cangote e dei um beijo naquela boca carnuda e gostosa.

Ela não resistiu, mas fez cara de surpresa depois que desgrudei dela. Conheço esse teatrinho, acho que é pra manter um pouco as aparências de que por sermos casados aquilo era errado, e ela sabia disso. Mas ela não resistiu quando comecei a beijar ela de novo, pelo contrário, minhas mão começaram a correr bem livres pelo corpo dela! Fui devagar de início, só Dando umas agarradinhas na cintura, mas passei a me atrever um pouco mais e deslizar a mão por aquelas coxas grossas morenas deliciosas. Quando percebi já estava tentando sentir aquele bucetão quente, mas ela começou a me podar. Ela disse que ali não era lugar pra aquilo, que era muita exposição, então convidei ela pra sair e irmos para outro lugar…a safada aceitou na hora, dava pra ver o tesão na cara daquela putinha! Como sou um cara precavido, já tinha levantado um motel nas redondezas e decorado o caminho, toquei para lá bem rápido e chegamos em alguns minutos.

Parei o carro na garagem, fechei o portão, sempre mantendo o controle, não demonstrando que queria arrebentar de maneira selvagem aquela gostosa. Ela estava quieta, parecia bastante nervosa, mas quando eu dava um sorriso safado ela se ouriçava toda. Ela não saiu do carro, esperou eu abrir a porta, a putinha ainda se julgava uma donzela. Eu ia botar ela no lugar dela rapidinho.

Antes de entrar no quarto já encostei ela de cara pra parede da garagem, ela ia engolir aquela marra dela pra já. Comecei beijando o pescoço dela bem devagar, dando umas lambidinhas. Não tem erro quando se faz isso com bastante calma e vontade, as mocinhas já se molham todas! Ela começou a roçar aquele bundão no meu pau com força, o objetivo tinha sido cumprido hehe. Levantei a camiseta dela para descer beijando até chegar naquele rabão, ela adorou, dava uns gemidinhos abafados com a mão na boca, mas com a cara ainda colada na parede.

Agachei e comecei a morder aquele rabo delicioso, passando a mão por cima da calça no bucetão dela. Estava toda molhadinha, dava pra sentir ela já enxarcada, mesmo estando de calça e calcinha. Fiquei doido com aquele cheiro de buceta molhada, passei a lamber ela por cima da calça mesmo. A safada me pegou pelo cabelo e me levantou para a gente entrar, ela tava querendo muito que eu metesse logo naquela buceta.

Entramos e nem deu tempo de ver nada no quarto, só que tinha bastante espelho, e adoro isso! Segurei ela pelos cabelos e encostei ela de quatro na cama. Dominada com a mão segurando o cabelo bem firme, passei a apertar bem forte a buceta por cima da calça, mandando ela rebolar. A putinha tava na minha, e começou a rebolar meio desajeitada, só pra cumprir a ordem, o que me deixou com mais tesão. Puxei a calça dela bem rápido, e depois aquela calcinha vermelha sexy toda molhada..a danada já tinha se vestido cheia de más intenções!

Abri as duas pernas dela por trás, com ela ainda de quatro, e segurei bem apertado na bunda, levantando ela, para arrebitar bem aquela buceta quentinha. Enfiei a boca toda de uma vez, lambi igual um animal, ela estava toda cheirosinha e molhada, uma delícia engolir aquela babinha da ppka dela. Chupei bem forte, ela já tinha perdido toda a compostura, estava gemendo muito alto e pedindo para eu comer ela. Falei pra ela ter calma, que ainda tínhamos tempo, e que eu ia brincar com ela bastante naquele motel. Comecei a chupar ela e enfiar os dedinhos juntos, a safada tava indo ao delírio.

Já tava ficando insustentável, eu tinha que meter naquela gostosa, não aguentava mais. Queria dar uns tapas na cara dela, mas fiquei com medo, acho que pra uma mulher casada é complicado. Tinha que mostrar quem manda pra putinha, mas de outro jeito! Peguei ela bem forte no cabelo e fiz ela ajoelhar na minha frente, de uma maneira pouco gentil. Ela tentou pegar o travesseiro pra colocar no joelho, mas eu não deixei. Disse que ia ser bem rápido, que já ia comer ela, então dava pra aguentar sem. Nem dei muito tempo para ela pensar, já pus a mão no queixo dela e encaixei meu pau na sua boca. Ela tava adorando, parecia que não chupava um cara fazia tempo.

Dei um tempo para ela se acostumar no boquete, já que sou bem carinhoso, mas logo passei a enfiar bem fundo, lá na garganta. No começo ela passou a me empurrar, tirava a boca e dava uma risadinha sem graça, e eu pedia desculpa. Mas comecei a enfiar mais, segurando a cabeça dela pra safada não ter como sair. Ela passou a aceitar e se acostumar, e não tava mais me empurrando mesmo quando os olhinhos dela se encheram de lágrimas com a boca cheia…que visão mais linda aquela, nunca vou me esquecer: uma vadia casada chorando e engasgando com meu pau na boca dela, no meio da tarde!

Levantei ela, encostando a cintura no colchão enquanto ainda estava com os pés no chão, deixando ela com a rabeta bem empinada pra mim, encostada na borda da cama. Indescritível a sensação quando enfiei meu pau na buceta dela, toda molhadinha. Apesar de coroa ela era bem apertadinha, dava pra sentir mesmo entrando fácil dentro daquela ppka toda molhada.

Encaixei e comecei a socar bem forte, puxando ela pelo cabelo para levantar o rosto e ela me enxergar metendo por trás no espelho que havia em nossa frente. Dei um sorriso pra ela no espelho, e ela riu , falou que queria que eu comesse ela bem forte, que estava muito a fim de gozar no meu pau fazia tempo.

Tava com muito tesão, mas não queria gozar logo, estava gostoso demais sentir aquela vadia rebolando no meu pau e gemendo alto. Peguei ela e joguei na cama de frente pra mim, levantei as pernas dela pelo tornozelo e botei dos lados do meu corpo, metendo na buceta dela enquanto olhava aquela cara se contorcendo de tesão. Eu metia bem forte, e depois pus uma das pernas dela sobre meu ombro pra poder brincar um pouco com o grelinho dela enquanto socava forte.

Já não estava aguentando mais, tinha que gozar na danada. Pensei em perguntar se ela ia deixar gozar na cara dela enquanto estava metendo, mas não achei que ela fosse concordar. Ia ter que fazer sem ela saber mesmo, foda-se! A vadia tava gostando de ser dominada, esse ia ser o auge!! Enquanto metia de frente, pus minha mão no rosto dela e empurrei de lado bem forte, amassando ela contra o colchão. Quando ela estava dominada, e senti que ia gozar, tirei de dentro e fiquei em cima dela, com minha perna prendendo sua cintura. Só tirei a mão do rosto quando senti que ia gozar, e quando ela olhou espantada já não teve mais tempo de desviar…lambuzei o pescoço e a cara dela de porra!! Não podia acreditar naquilo, ver a mulher do chefe cheia da minha porra na cara, parecia um sonho…acho que ela não gostou muito de ter sido esporrada na cara do nada, mas isso fica para outra história.

Leia Contos eroticos relacionados


Contos relacionados

1 comentário para “Transando com a mulher do meu Comandante

  1. Renato • 30 de novembro de 2021

    Pra vc novinha quer uma aventura
    xxxx

Deixe seu comentário

Ler Contos Eróticos Reais Grátis.
© 2011 - 2021 - Contos Eróticos – Top 10 Contos Eroticos – conto erotico (2020)

- - - - - -